Grupo Português de Gastronomia

Desde  2004 a apreciar os  " Poisos " de Portugal 

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Taberninha do Chico - Perelhal - Barcelos - Distrito de Braga

Na estrada de Barcelos para Esposende há um local discreto onde se deve poisar.

Penso ser o sítio onde se encontra a melhor vitela assada (do mundo, e talvez da europa... como dizia o outro!) 

Para abrir o apetite umas pataniscas enroladas, umas sardinhinhas fritas e outras delicias.
Mas a vitela, essa quando chega à mesa, irresistível, doirada, é uma tentação.
Derrete-se na boca (quase não é preciso usar a faca...) com batatas assadas, grelinhos e um arroz branco que embebido no molho do assado nos leva ao céu.
Gosto de vinho verde tinto a acompanhar este pitéu, havendo vinhão de qualidade. Para quem tem outros gostos vinhais, o Chico tem uma riquissima garrafeira.

Para terminar a refeição, nada como saborear o "pão-da-Ló" (réplica melhorada do pão de ló de Ovar)

No final o custo é uma surpresa agradável. 

É a primeira vez que faço uma apresentação na Irmandade.
Julgo ter apresentado um Poiso de primeira apanha.

Cumprimentos

José Machado

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

"Burgo" - Lousã - Coimbra

No passado dia 26 Julho 09 num dos meus passeios sem destino fui parar à Lousã.

Junto ao castelo da Lousã, da Ermida da Nossa Sr.ª da Piedade e da agradável piscina natural do Rio Arouce descobri um poiso que recomendo como RIP, O BURGO.

Este poiso tem cariz regional apresenta um leque de pratos que nos dificulta a escolha... eu queria comer de tudo...

Eu e a Belinha alinhamos nas entradas regionais, nuns Sarriscos da Matança acompanhado por um tinto das beiras seguido de um pudim com castanhas e seios de noviça como sobremesa. Ficou-me na memória a bela imagem de um prato que vi passar duas vezes o Cozido do Talasnal na Broa...

Na minha opinião o BURGO merece uma peregrinação em força da "irmandade".

... e ficam algumas fotos entre elas a ementa que me vai fazer lá voltar...

Coordenadas 40º 6' N - 8º 14' W







domingo, 17 de maio de 2009

"A Adega" - Aldeia - Lanhelas - Viana do Castelo (XVII Encontro)


Decorreu neste restaurante o XVII Encontro da Irmandade, jantar que reuniu 14 comensais. O encontro foi organizado pelos manos Vila Verde e com resultado positivo.

O restaurante fica situado no centro de Lanhelas, numa casa bonita que me pareceu ter duas salas, uma no rés-do-chão e outra no primeiro andar, a sala que nos coube a nós.

Quando chegámos, já os manos Vila Verde a par de outros poisantes , degustavam as entradinhas, das quais só provei umas pataniscas de bacalhau de boa nota e umas alheiras - que chegaram tarde á mesa, pois já estavamos no primeiro prato - alheiras essas muito boas sem duvida. Tudo isto acompanhado por um espumante das caves Borlido. Pelo meu lado andei a dar voltinhas no espumante e numa Bohemia.

Para começar a coisa, veio para a mesa o primeiro prato: filetes de Polvo com arroz do mesmo, um arrozinho malandro delicioso e uns filetes como há já algum tempo não comia, muito bons pois que o animal era de boa qualidade e sobretudo, tinha sido bem "tratado".

Para segundo prato, veio uma vitela assada que não me encheu as medidas, nem pouco mais ou menos. Estava boa mas para o meu gosto algo assada demais. Mas isto sou eu que sou esquisito nos pratos de forno, porque estou mal (bem) habituado. Por isso a minha opinião poder ser radical demais.

No final lá veio um Abade de Priscos que, sendo um Priscos, nao era do Abade. Estou a brincar. Era muito bom sim senhor mas fica o registo de que já comi melhor. Também aqui sou muito esquisito. Lamento.

No final o cafézinho do costume acompanhado por um cherinho de CR&F, já que a mana Rita não quis partilhar o seu licor Beirão comigo. 

Simpatia e atenção por parte dos "donos da casa", para um preço final por pessoa de 32 euros - entradas, dois pratos, sobremesas, cafés, digestivos,espumantes, vinhos , cervejas e sumos.

Aldeia-Lanhelas

telef: 258 727355

Artur

Maio de 2009

"David da Buraca" - Buraca - Lisboa

Por conselho de uma pessoa amiga, fui  jantar um dia destes ao David da Buraca. Casa antiga e com reputação, faz parte do Grupo DB - David da Buraca - no qual estão inseridas outras unidades de restauração e não só.

O nome Buraca irrita-me mas vale o que vale, isto é, não vale nada atendendo a que fui à Buraca para jantar e não para fazer turismo, coisa impossível de se fazer na Buraca, penso eu de que !

Pelo que me pude aperceber, o poiso tem duas salas, uma enorme e outra mais pequena mas grande também , ambas incaracterísticas mas com boa amesendação. Optei pela mais pequena, porque ligeiramente mais sossegada que a outra. 

Fui logo atendido pelo empregado que me estava destinado, simpático e diligente por sinal, o qual me entregou o menu e foi trazendo para a mesa umas azeitonas - não gostei muito das mesmas - umas chamuças - estavam boas, levezinhas e estaladiças - uma linguiça assada pedida por mim - estava agradável - pão, manteiga e  queijo.

Quanto à ementa, não me recordo da mesma pois que a minha visão foi de imediato atraída para algo de que gosto muito: Pernil assado no forno. É das tais coisas à qual não consigo resistir quando a vejo num menu de restaurante. Perguntei ao senhor como é que a coisa estava a sair e acreditando nas suas palavras positivas, lá mandei vir o Pernil em quantidade que chegasse para mim. Pedi também vinho da casa - um tinto do Alentejo que escorregava muito bem - e quando o pernil veio para a mesa fiquei a olhar para aquela beleza: bem servido, acompanhado de batata no forno e arroz. 

Se o aspecto prometia, então a degustação nao ficou atrás: muito bom, no ponto, nem assado de mais nem de menos, a carne saía em lascas lindíssimas e untuosas, sem serem gordurosas, as batatas estavam também bem assadas e tudo aquilo acompanhado do molho da própria assadura, foi um festim para mim.

Pedi para sobremesa um Bolo Rançoso que era também uma delícia. Nunca tinha provado e fiquei cliente.

No final um café e uma factura de 12.50 euros. 

Estrada da Buraca nr.20 - 1500-118 Lisboa

tel: 21 760 6247 - Encerra à terça-feira

Artur

Maio de 2009

sábado, 16 de maio de 2009

"Poço das Fontainhas" - Setubal

Depois de uma "agradável" viagem pela A1, para avaliar a evolução das suas obras de "melhoramento" desde há 8 anos, lá chegámos nós à terra do Choco Frito...Mais um dia em cheio, com dois bons "repastos", cada um ao seu estilo, e "intermeados" com umas gulosas tortas de Azeitão, bem merecidas, pela longa e intensa caminhada pela Arrábida... Um verdadeiro teste cardiovascular....(foi mais um cardiovacilar do que cardiovascular, mas....) 

Bem , comecemos pelo 1º poiso, o "Poço das Fontaínhas": 

Começando pelo espaço, não me posso pronunciar muito, pois não fui a sala dos restaurante. Fiquei-me fiel à esplanada, não fosse alguma coisa fugir... 

Sem dúvida nenhuma, um restaurante com uma tónica muito bem vincada no peixe. Que, logo a avaliar pelo estilo de quem nele trabalha - homens inequivocamente da área - no que deles depender, só pode vir bom material para a mesa. Não experimentei o dito trabalhado na brasa mas, numa próxima, não falharei. 

Na mesa, passou-me pelo nariz: 

Nas entradas: Ovas de peixe - um restito que ainda deu para provar que os gulosos deixaram - que estava muito boas, bem frescas, só que soube a pouco. 

Os pedacinhos de fígado frito, estavam verdadeiramente deliciosos. Muito bem temperados, de comer e não parar. (sou grande fã desta iguaria, e é uma das minhas especialidades na cozinha - não é só uma mano Artur que tem especialidades...) 

As azeitonas também eram viciantes, de muito boa qualidade e muito bem temperadas. 

Na substância: 

Eu e o meu irmão optamos pela cataplana de cherne. Foi uma excelente opção, estava muito bem confeccionada, o falecido cherne, provou conviver muito bem com a calda onde nadou, e era de boa origem, fesquinho, rijinho a comprovar o seu corpo atlético de uma vida (curta provavelmente) a nada no alto mar. A calda estava no ponto certo, valeu assim o tempo que esperamos até vir para a mesa. As batatas é podiam ter mais uns minutos de convívio ao lume, pois estavam um pouco rijas. Mas nada que tivesse comprometido o "aviamento" desta excelente cataplana. 

Dos outros pratos que nos passaram pelo nariz: o robalo que estava à nossa frente, tinha excelente aspecto e pareceu ter sido muito bem trabalhado. Bem, mas este só me passou mesmo pelo nariz.... 

Ainda por lá andou, umas massadas de peixe, e estas não me passaram só pelo nariz. A mana Isabel quase me obrigou a degustar a dita. Não tive culpa. Veredito: a matéria-prima, sem dúvida que era boa, mas sem duvida que os ingredientes tiveram pouco convívio no tacho. A calda estava pouco apurada, demasiado líquida, em que nem houve tempo do tomate se desfazer e fundir na calda. 

Os chocos: apanhado o mano Artur distraído, lá fui eu subtraír um choquito e umas quantas batatas. Sendo este um prato simples, penso que a qualidade da matéria-prima aqui é mesmo determinante. E de facto, foi mais uma confirmação que estes senhores do "Poço", no que toca à matéria, não brincam. Só não sou apreciador de batatas frias à acompanhar. Mas é assim, é assim... 

O Mano Lourenço e a Mana Marta, desta vez para variar, foram nuns bifes de picanha. Vá lá que não era do refeitório da enfermaria... 

Na Sobremesa: 

Em sociedade, eu o maiorítário, atacamos em algo leve, apra aligeirar a refeição, uma encharcadazita....que logo despoletou a discussão para "encharcada ou não, eis a questão". Para mim, era encharcada e estava encharcada, de proteína e "castrol". Muito boa, muito saborosa, sabia ao que era, não era de plástico, como muitas se vêm por aí, cheias de corante. É purinha, e disfarçadamente potente. Um perigo. 

No que toca a petróleo: 

Começamos com uma invulgar sangria de espumante que, a avaliar pelo ritmo de "avianço" de jarros se revelou perigosa e traiçoeira. Muito boa, bem fresca, de potência média-alta mas silenciosa, com a hortelã a conferir-lhe alguma "inocência"

Rua das Fontaínhas 98 - Setúbal
2910-082 SETÚBAL
RVV

"Vallécula" - Valhelhas - Guarda - RIP

Apreciação retirada do relato do X Encontro:

Lá fomos até Trancoso, - já sem os manos Ana e Carlos Dithmer que voltaram para o Porto - que estava deserta devido ao facto de que estava a decorrer a Feira de Fumeiro de Trancoso, num pavilhão multiusos mesmo à entrada das muralhas. Num pequeno passeio a pé, lá fomos lanchar ao Magriço, onde provámos as famosas Sardinhas de Trancoso, doce conventual , recheado com doce de ovos e amendoa. Depois de nos despedirmos do mano Zé Costa e sua prole, tinhamos de ir visitar a feira de fumeiro que...enfim...era de uma pessoa ficar com agua na boca, desde os fumeiros tipicos da região, passando pelos queijos da Serra das mais diversas proveniencias e pela doçaria Conventual. Até a Tasquinha do Castiço lá estava a servir uns comes e bebes que por experiencia propria, só poderiam ser de estalo. Lá nos metemos nas viaturas em direcção à Guarda, sem que primeiro o mano FF tenha demonstrado à mana Teresa Sampaio, que o seu Panda 4x4 até anda fora de estrada, logo seguido por perto pelos manos Vilaverde no seu Vitara, sendo que o mano António Machado insistia comigo para que fizesse o mesmo na Megane, ao que eu me recusei obviamente. Lá fomos estrada fora sempre atrás dos manos Vilaverde e do seu GPS no telemovel até Valhelhas, onde depois de estacionar o meu carro, fomos até ao "apartamento fantástico" onde iam pernoitar os manos Vilaverde e Francisco Franco. Foi uma risota pegada, pois o Ricardo sentiu-se enganado e havia que pegar no telemovel e desancar o proprietario que estava em Cascais, enquanto o mano Antonio tentava abrir o sofá cama onde iria dormir o mano FF. Voltados que estavamos a Valhelhas, lá entrámos no Valléculas. Sala muito simpática e bonita, com cerca de 12-14 mesas - o tamanho ideal - toda em xisto e granito, decorada com muito bom gosto e com simpatia a rodos do sr. Luis Castro, proprietário. Enquanto esperavamos pela Rita e pelo Estevão, lá degustamos uma orelheira com molho verde, uns peixinhos do rio, um paté de grão de bico, uma alheiras de perdiz acompanhadas de açorda de enchidos, tudo a meu ver, muito bom. O vinho foi-nos proposto pelo sr Luis Castro, que nos trouxe para a mesa um garrafeira particular que nem era Dão, nem era Beiras, mas que era muito bom. Para pratos principais, Pato á Provençal, muito bom, Lombinhos de porco á Valhelhas, Costoleta de Borrego com molho de alecrim, filetes de Vitela Beirã, Lombo marinado com ervas aromáticas, borrego na carqueja. Nas sobremesas, papas de carôlo, leite creme e pera bebeda, remataram a refeição acompanhados por um café e uma conta final por pessoa de 24 euros. Opinião unânime: o Vallécula é um poiso muito bom , a justificar plenamente uma visita a Valhelhas. 

Praça Dr José de Castro - Barreiros
6300-235 VALHELHAS
275487123

AN

"O Cortiço" - Viseu

Apreciação retirada do relato do X Encontro da Irmandade:

Entradas muito boas - linguiça e morcela grelhadas, feijocas, queijos, o habitual, tudo bem apresentado e apaladado. Nos pratos principais, Pato Assado à moda da D.Cilinha, Arroz de Pato á Antiga, Coelho Bebedo há tres dias Vivo, Rojões com morcela, Costelinhas de Borrego e Secretos de Porco Preto, tudo do agrado geral, sendo que só ouvimos uma queixa do Ricardo que nos disse que as batatas que acompanhavam a sua escolha sabiam a mofo. Nas sobremesas, farófias, arro doce, aletria, requeijão com doce de abóbora, leite creme, Toucinho do Céu, cafés e um digestivo para rematar, tudo pela módica quantia de 20 euros por pessoa. Sala agradavel - o restaurante é dividido em duas partes, pela própria rua, tendo de um lado 4 salas mais a cozinha e do outro uma sala grande, bem amesendada, que foi onde ficámos. No final a Marta fez um "poster" da Irmandade, tendo o mesmo sido colocado na parede junto de tantos outros, para certifucar que a Irmandade esteve por lá.

Rua Augusto Hilário, Nº 43-47
3500-089 Viseu
Telf: 232 423 853
Fax: 232 425 986
Tlm: 919 883 877
AN

"Vais e Cais" - Porto

Em frente ao rio Douro, vamos encontrar este "poiso", bastante simpático, com uma sala de ambiente muito agradavel, pequena e muito simpática. As entradas habituais, com um óptimo patê de atum, umas azeitonas de bom gabarito. Por entre as diversas escolhas, em que constam entroutras duas açordas, uma de bacalhau e outra de gambas, ambas com coentros, temos também carapaus de escabeche, filetes de bacalhau com arroz de feijão, polvo e bacalhau assados no forno com batata 1/2 a murro - muito bons -e nas carnes, uma panóplia de bifes , todos eles confeccionados com carne excelente. Nas entradas, referencia para umas pataniscas de bacalhau originais - muito boas mas que quase parecem pequenos filetes do mesmo - e uns crepes de camarão gigante deliciosos. Serviço sem falhas, fora o facto de que esperámos cerca de meia hora pelas entradas, mas após estas o ritmo de serviço foi bom . Na sobremesa experimentámos uma deliciosa tarte de limão gelada - deliciosa mesmo. Simpatia que baste, para uma boa cozinha.

Rua de Monchique, 66 - tel: 226003017 - www.vaisecais.com
AN

"Tromba Rija" - Vila Nova de Gaia - Porto

Fui com a mana Mé ao Tromba Rija de Gaia. Conheci o Tromba Rija de Leiria, há cerca de 16 anos atrás - um jantar memoravel - e como a mana Mé nunca foi a nenhum, lá fomos ao de Gaia, para ver como as coisas andavam. Sala grande, amesendação normal, ambiente engraçado. No entanto este Tromba Rija nada tem a ver com o de Leiria que conheci há anos atrás. Desde um serviço muito desatento - tive por mais de uma vez fazer-me notar, para que trouxessem vinho para a mesa - ao conceito de "buffet" ( que nao existia há 16 anos atrás em Leiria ) - a coisa esteve longe de correr conforme eu imaginava.Para além do mais e fora o enorme "buffet" de entradas e petiscos - uns bons, outros perfeitamente normais e sem história - o prato principal pelos vistos é sempre o mesmo ( bacalhau assado na brasa com migas, que estava bom dentro daquilo a que o mesmo é devido ). Nada de especial pois. As tábuas de queijos para finalizar, apresentavam os mesmos já passados ou ressequidos, portanto longe das suas melhores qualidades, e o "buffet" das sobremesas, esse sim, notavel - nao por eu ser lambareiro - mas porque era mesmo uma realidade. No final, uma conta média/alta - 27,50 euros por pessoa com tudo incluido - mas um serviço com muitas falhas e uma certa sensação de industrilaização e de restaurante para turistas. Uma desilusão, se compararmos com o antigo e original Tromba Rija.

Avenida Diogo Leite, 102 - Vila Nova de Gaia

tel: 22 3743762

Fecha aos Domingos ao jantar e segundas feiras ao almoço.

Aceita cartões.

Junho de 2006

AN

"Trás d'Orelha" - Matosinhos

..comidinha de "trás da Orelha é de acordo com o que aprendi já em miúdo, a comidinha em que com a mão atrás da orelha se dizia "é daqui" ";-) ... comidinha q nos sabe bem, surpreende e não se esquece e se comenta com os amigos...Não é o que eu posso dizer de uma visita ao "Trás ´d'Orelha" de Matosinhos. Faz hoje uma semana fui jantar ao referido Poiso, em plena Festa do Mar em que se pretende mostrar a gastronomia de Matosinhos onde o peixe é a corte e a sardinha o Rei, e lá confirmei a minha tese (apesar de não comer muitas vezes em Matosinhos acho que tenho alguma razão) de que Matosinhos já não é uma grande terra de peixe... O Gustavo pediu carne (..jovens em desenvolvimento...) umas costelinhas grelhadas que não provei mas estavam com bom aspecto.O Gus comeu bem e gostou. Eu pedi uns chocos grelhados acompanhados por batata pseudo a murro. Não estava mau mas nada de extraordinário. As batatinhas do "Tito", do "Lusitano" e da Casa Serrão são melhores (na casa Serrão tem um senão: quando as batatas chegam já comi o peixe e já penso na sobremesa..). a Isabel pediu Sardinhas e achou que estavam boas o que respeito (ela gosta delas não muito grandes e não muito gordas) mas eu que tenho a mania de ser assador de peixe ao olhar para as sardinhas pelo aspecto da pele "assapada" à carne disse logo que estiveram muito tempo no sal e já não eram frescas como deveriam ser em Matosinhos especialmente no decorrer de uma festa do Mar em que se pretende mostrar que Matosinhos é terra de peixe. Comi uma e confirmei a minha primeira impressão. O serviço esteve do Mau ao Bom desde a simpatia de um empregado às unhas completamente negras de um outro que trouxe a travessa das sardinhas para a mesa (eu asso muita vezes peixe e carne e depois de ter a brasa OK as minhas mão ficam impecáveis não precisam de ter carvão e gordura... o que nem é difícil pois basta lavar as mãos...)...Para entrada pedi pimentos padron que acompanharam a salada mista e choquinhos fritos (bons) e o empregado teve a amabilidade quando viu a travessa dos pimentos a meio de os despejar na salada mista para a travessa não estorvar...por acaso a salada até nem tinha muito vinagre do qual gosto mas evito ingerir pois a cara reage como se eu fose alérgico. Uma vez pode não ser exemplo mas até provas em contrário considero que o Trás d´Orelha" não pode representar Matosinhos como Terra de Peixe.. Ficarei feliz se muita gente vier a ter opinião diferente mas penso que em Matosinhos há melhores escolhas... 

Rua Heróis de França, 549 Matosinhos Telefone:229371920

Junho de 2006

José Costa

"Taberna do Valentim" - Viana do Castelo - RIP

Nesta linda cidade, pela qual nutrimos um carinho muito especial devido à sua extrema beleza, existem alguns "poisos" de grande gabarito, sendo este um dos seus melhores exemplares. Aqui...só se come peixinho, do bom, nada de carne. Ainda bem, porque o mesmo é fresquíssimo. Peixe para grelhar, assar, saborear. O Arroz de Peixe - uma das especialidades da casa, sendo a outra a Caldeirada de Peixe - é...um espectáculo sendo que...tem muito mais peixe que arroz. Para mais, o dito arroz é servido no seu melhor ponto - nem demasiado nem pouco cozido - uma delícia. Talvez um pouco mais de "apuro" não lhe ficasse mal, mas adiante. Como entrada existem umas Pataniscas de Bacalhau...em forma de bolas, um pecado autêntico.( cremos que a massa tinha cominhos incluidos mas não temos a certeza...) Sabemos é que o paladar é muito próprio e gostoso e aquilo come-se sem parar.Cuidado, porque depois pode não existir espaço para as iguarias que se seguem. O leite creme é muitissimo bom, bem "temperado" e queimado na hora. O serviço é muito simpático e atencioso, as doses bem servidas.Preço justo. A não perder. Curiosidade: caso não haja peixe fresco...não abre.

Rua Monsenhor Daniel Machado, 180 - Tel: 258 827 505
AN/TSC

"Tasquinha do Oliveira" - Évora - RIP

Um ""poiso" de se lhe tirar o chapéu. Em primeiro lugar, sala pequena - somente 12 ou 13 mesas, a requerer marcação. Ambiente muito simpático, confortável. O que vem para a mesa é de muito bom nivel e se não formos cuidadosos, ficamo-nos somente pelas entradas, todas elas deliciosas.Orelha de porco. Favas com chouriço. Pimentos com bacalhau. Carapaus de escabeche. Ovas de peixe. Grão com bacalhau. Sopa de cação. Sopa de peixe. Açorda alentejana.Bacalhau na canoa - assado no forno em azeite. Douradas na grelha. Pargo assado no forno.Migas com carne de porco. Borrego assado no forno. Ensopado de borrego. Caldeirada de borrego. Arroz de lebre. Lebre com feijão.Sericaia com ameixas. Encharcada de Mourão. Preço alto.

Rua Candido dos Reis 45 A - telefone: 266-744841
AN

"Segunda Casa" - Matosinhos - RIP

Liderado por duas simpáticas irmãs - uma a chefiar a cozinha , a D.Rosalina e outra na sala, a D.Fernanda - abriu há seis meses este novo espaço restaurativo, em plena Av. Serpa Pinto que tem porta sim porta não restaurantes identicos a servirem peixe fresco, tão comum nesta cidade. Projecto arrojado pois, sendo que e ainda por cima, nenhuma das senhoras se tinha aventurado antes nas lides da restauração.

Sala não muito grande, com boa amesendação e decoração muito agradavel, o Segunda Casa conta antes de mais pelo marketing do " passa a palavra " e até hoje, no meio de tantos "tubarões" tem dado boa conta do recado, baseado numa cozinha simples mas de qualidade. A ementa é muito diversificada, tendo diversos "capitulos" a saber: sopas,saladas,petisquinhos,mariscos,massas,peixes,carnes, pratos por encomenda ( onde inclusivamente aceitam sugestões do cliente, notavel ), e as sobremesas, ora pois. Desta feita iniciamos com Pataniscas de bacalhau e Asneirinha de bacalhau, ambos muito bons. Para pratos principais, um Bacalhau com Broa, de lasca untuosa e fácil, muito bom mesmo e um generoso Caril de Gambas, servido com arroz Basmati, delicioso. Para sobremesas enveredámos pelo Abade de Priscos e por um Bolo de Figos de boa nota. Serviço muito simpático com grande afabilidade e correcção, bom profissionalismo. Lista de vinhos muito correcta e preço perfeitamente dentro da média. Pagámos por duas pessoas, com tudo incluido, 42 euros. A visitar sem dúvida alguma.

Avenida Serpa Pinto, 124 - Matosinhos

fecha à segunda feira.

telefone: 22 9379627 

email: segundacasa124@hotmail.com 

Numa já terceira visita que fiz em Julho de 2006, comprovei novamente para meu gáudio e dos comensais que me acompanharam, o bem que se come neste Poiso. Sem ser deslumbrante, como-se bem na minha opinião.Novamente simpatia a rodos, um serviço atento, sem grandes falhas e uma cozinha que alia a meu ver e bem, o tradicionalismo dos nosso pratos com uma apresentação cuidada, sem ser demasiao elaborada.Desta feita, alinhei numa Açorda de Gambas de boa nota - apesar de ter vindo para a mesa já demasiadamente cozida, o que de forma alguma lhe retirou o sabor excelente, mas um pouco da consistência. A acompanhar e para condimentar, pedi o habitual frasco de piri-piri e ao prova-lo vi que não era brincadeira nenhuma: dos melhores piri-piris que provei mas a requerer muita atenção no seu doseamento ou arriscamo-nos a chamar os BV de Matosinhos. A já muito boa Carilada de Gambas foi pedida por mais dois comensais -dei mais uma voltinha na mesma e estava muito boa - e outro colega pediu o Bife à Casa, que estava segundo me disse, delicioso: bife de lombo alto, embrulhado em presunto, acompanhado com uma pera bebeda e servida com arroz árabe. De boa nota, pelos vistos e pela satisfação de quem o comeu.A carta de vinhos sem ser extensa, é a correcta. Assim e portanto, uma casa que se pode considerar um Poiso seguro, sem grandes falhas ou surpreas desagradaveis.

AN


"Solar do Pátio" - Porto

Casa extremamente agradável, situada naquele que é provavelmente o único pátio camarário da cidade do Porto. Ambiente descontraído, familiar, sala acolhedora. O mestre António dirige a sua casa com mão firme, simpática. Bom serviço,montes de simpatia. A Blica aos Empurrões como entrada é obrigatória. Recomendamos o rosbife - excelente - acompanhado com umas batatinhas fritas - caseiiras - de se lhes tirar o chapéu e arroz a condizer. O Bacalhau Conventual também se recomenda assim como a Francesinha, saborosa, no ponto, nem demais nem de menos. Nas sobremesas, o Bolo de Chocolate e o Folhado de Ovos são...excelentes. Preço acessível/médio

Rua Mouzinho da Silveira, 64 A - Porto - Telefone:22 2083892/933250874
AN

"Quinta do Pendão" - S.Pedro do Sul - Viseu - RIP

Este fim de semana tivemos o prazer de mais uma vez visitar as Termas de S Pedro do Sul. Felizmente, desta vez, conseguimos jantar na Quinta do Pendão, que para quem não sabe está a cargo do Chefe Luís Américo e sem palavras... Foi excelente a refeição que nos proporcionaram, o espaço é lindíssimo e a degustação foi fantástica. Como conseguem aqueles "artistas" transformar os ingredientes mais comuns da nossa cozinha em "obras de arte" é sempre a dúvida que trago. Visitem, deliciem-se e fiquem um fim de semana e nada mais digo. Informação importante, o Restaurante da Quinta do Pendão só funciona para grupos mas, quando decidirem visitar, façam como nós - liguem porque podem ter a sorte de, mesmo sem grupo, conseguir lá jantar. Fomos servidos com um menu surpresa (imaginem que essa era a "condição" para podermos lá jantar) o que ainda tornou mais interessante a refeição. Nem quando chegámos soubemos o que íamos jantar e acreditem que se tivéssemos a possibilidade de escolher não escolheríamos tão bem..

PS. local fantástico para uma jornada gastronómica, creio que eles tencionam promover cursos de cozinha e a IP tem que estar atenta ;-)).

tel: 232.799539

Maio de 2006
Rita Encarnação

"Quinta da Camposa" - Maia

Fica longe de tudo, complicado para quem é a 1ª vez mas depois, descobrimos que afinal, fica bem perto de tudo! Fica num cruzamento a meio da Serra da Agrela, junto ao aeródromo da Maia.

Tem uma sala de entradas, fantástica: salada de búzios, alheira de caça, presunto, bacalhau desfiado,etc.

Aconselho a almoçarem Vitela Grelhada. É que já ficam jantados e com o peq. almoço do dia seguinte.

Boa selecção de vinhos. A sobremesa, nos doces, é servida em formato "prova de degustação"...

A decoração é acolhedora e muito bem conseguida.

Serviço muito eficiente e de qualidade.

Rua Central da Camposa - Folgosa - tel:22-9687977 - www.quintadacamposa.com

Nuno Campos

"Pedra Alta" - Castelo do Neiva - Viana do Castelo

Numa paisagem maravilhosa e com uma cozinha divinal encontramos o restaurante Pedra Alta, para mim, um local de eleição para desfrutar de uma boa mariscada um então me deliciar com um fenomenal bacalhau à pescador. Sem dúvida um bom local para uma refeição ( nao muito calmo devido à sua grandiosidade), mas com vistas lidissimas.Aconselho. E já agora, gostava de saber a vossa opinião sobre o poiso, pois tenho lido que algumas pessoas consideram uma fábrica de fazer comida, o que nao discordo totalmente, mas a ser assim é uma fábrica de fazer boa comida.

Restaurante Pedra Alta

Lugar da Praia - Castelo do Neiva

tel:258 871568
Cristiano

"Pé de Vinho" - Vila Fresca de Azeitão - Setubal

Entre Setúbal e Vila Nogueira de Azeitão, já bem perto desta Vila abençoada pela serra da Arrábida, paredes meias com a famosa Quinta da Bacalhoa, fica o restaurante Pé de Vinho.Um restaurante recente, com uma decoração mista de rústico e moderno, cujo espaço resulta do aproveitamento de um armazém.

Com uma ementa muito diversificada e um serviço atencioso, este restaurante tem a particularidade de, no que toca a vinho, apenas servir produtos de chancela “José Maria da Fonseca” ou “Bacalhoa Vinhos” (antiga J.P. Vinhos).Isto é, a vinhaça que se entorna goela abaixo é só destas duas prestigiadas marcas.A própria carta dos vinhos tem a particularidade de dar a conhecer ao cliente as características de cada vinho, para além da sua designação e do seu preço. 

Para além disso, podemos encontrar diversos Vinhos Moscatel tão típicos da região, nomeadamente o célebre “Torna Viagem”, bem como o “Bastardinho de Azeitão” um ex-libris das bebidas de vinho generoso.

Na nossa ida, eu e a mana Anabela provamos um típico Queijo de Azeitão, enquanto esperávamos por um Gaspacho bem fresquinho e apetitoso para uma noite quente de verão. O Arroz de Pato e o Caril de Camarão que depois vieram para a mesa também nos souberam muito bem. O Branco Seco “Septimus” (José Maria da Fonseca) ” feito com as castas Arinto e Sauvignon Blanc, bem fresquinho, foi nossa companhia. 

Restaurante “Pé de Vinho” - Rua dos Trabalhadores da Empresa Setubalense, nº10

Vila Fresca de Azeitão - Tel: 212 188 048

Julho de 2005

FF

"Pavilhão de Caça" - Santa Cruz do Bispo - Perafita - Porto

Em mais um "surtida - mensal do jantar dos Ex-Renault, calhou a esta casa ser o nosso anfitrião. Sala simpática, bom serviço e algumas entradas muito boas, sendo que os míscaros fritos ou grelhados foram uma novidade e regalo para mim, pois sempre comi míscaros com "outras formas e feitios". Como eramos alguns optámos por um "sortido" de diversa caça, nomeadamente codornizes - bastante boas - veado - delicioso - e bisonte - nem me aqueceu nem me arrefeceu. Um bom vinho do Dão a acompanhar ( se bem que ainda um pouco "novo" ) e um Abade de Priscos no final, de boa nota. Somente para os incondicionais da caça, que não será o meu caso e portanto esta opinião ser um pouco duvidosa, se bem que pelo meu lado, comi bem

Rua Gonçalves Zarco, 2516 - telefone: 22-9955107
AN

"Passos Perdidos" - Vilarinho de Samardã - Vila Real

Trata-se de uma autêntica...perdição. A localização, a sala, a casa, o serviço simpático e atencioso e sobretudo aquilo que se come, é de uma qualidade global de muito bom nível. O Bacalhau à Lagar é uma das perdições...entroutras. A não perder e a merecer um desvio ou ida obrigatórios. Só lá indo se percebe porquê. Preço acessível/médio

Casa da Coutada - Vilarinho de Samardã - (estrada Vila Real-Chaves) a cerca de 15 kms de Vila Real. Telefone:259347322/965794147
AN

sexta-feira, 15 de maio de 2009

"Oh Vargas" - Portela das Padeiras - Santarém

Ora este poiso faz parte dos poisos em que costumo refeiçoar quando vou a Santarém. Os outros ficam em Almeirim - fantásticos - e outro também em Santarém - o Brandão - onde como sempre um Bacalhau Cozido com Grão delicioso. Mas vamos ao Oh! Vargas. Duas salas, uma que se pode considerar a sala principal e outra maior, que é utilizada quando existem grupos ou eventos. Ambas, decoradas com simplicidade, com imensas alusões á Festa Brava, ou não estivessemos em terras de toiros e corridas. Para além do delicioso pão de Santarém - para mim dos melhores pães de Portugal ( alentejano incluido ) - temos como entradas, presunto fatiado fininho,queijo alentejano,mexilhões de cebolada,azeitonas temperadas com alho e oregãos,linguiça,chouriça e morcela assada,paté de aves, paté do mar, pataniscas de bacalhau entroutras.Nos pratos de peixe, temos choquinhos fritos com batata salteada,pataniscas com arroz de feijão,filetes de linguado e salada russa, bacalhau assado no forno, com migas de broa e molho de cebolada também; nas carnes para além do bife à Vargas, temos naco de carne grelhado, cozido à portuguesa, Rins à Vargas, rins grelhados e figado grelhado.Nas sobremesas, pera bebeda,fruta da epoca, salada de frutas,pudim Abade de Priscos, Doce Fidalgo, Pão de Rala,Bolo de bolacha e café, tarte de côco e toucinho do céu. Lista de vinhos "curta", baseada em vinhos da região - e que bons vinhos o Ribatejo tem. Preço médio,sem surpresas. 

Portela das Padeiras - Santarém

telefone: 243 351146

AN

"O Retiro do Castiço" - Trancoso - Viseu - RIP

Em Trancoso, depois de se entrar nas muralhas, na primeira rua à direita, vamos encontrar O Retiro do Castiço - Tasca Típica Regional, conforme se intitula no cartão que de lá trouxe. Estava com grande curiosidade em visitar este Poiso e garanto que não vim de lá nada, mesmo nada infeliz. Como podem ver pelas fotos juntas, a casa tem uma primeira sala, logo á entrada, junto do balcão e outra na parte de trás da casa, ambas muito agradaveis, sendo esta primeira, mais tipica e apetecivel. O Castiço, conforme é conhecido por aquelas bonitas bandas, é antes de mais uma casa de petiscos - à antiga portuguesa - e garanto que só a petiscar, ficamos bem "forrados" para fazer frente seja ao que seja. Aqulo que veio para a mesa, foi - para além de um pão EXCEPCIONAL e muito fresco, - umas azeitonas muito bem "curadas" e temperadas, pratinhos com favas estufadas com alho - deliciosas - sardinhas de escabeche muitissimo bem "amanhadas", moelas no seu devido ponto, dobrada com feijão branco, farinheira deliciosa, chouriça da beira excelente, tudo devidamente acompanhado por um vinho maduro, bem carrascão , de lavrador e pelo excelente pão que já referi. No final um café bem tirado, acompanhado por aguardente de sangue de judeu, excelente e a ajudar-nos na digestão de tamanhas iguarias. E no final uma conta de...10,5 euros por pessoa. Exacto, leram bem. Tudo servido em doses correctas e mais do que suficientes para duas pessoas e garanto que não conseguimos "limpar" os pratinhos todos. Sem dúvida, um Poiso de respeito e a merecer uma visita por quem aprecie este tipo de casa,aproveitando também para conhecer esta parte tão bonita de Portugal.

O Retiro do Castiço - Rua de São João - 6420-080 Trancoso - tlm: 919188129

Fecha ao sábado...geralmente,segundo nos disse o proprietário.
AN

"O Retiro do Isca" - Vale do Carro - Faro - RIP

"O Retiro do Isca", que aconselho seja visitado tambem, fica entre Albufeira e Vila Moura, mais propriamente em Vale do Carro, nao sei telefone. Só sei que fazem marcações até ás 20h.30m. Quem quiser marcar para depois dessa hora, nada feito...vai para la pa "bixinha" e é se quer! Ou então façam como eu, apareçam só depois das 22h que já não há "bixinha" ou...não ha tannnnnnnta "bixinha! É tudo optimo, neste ja provei a ementa toda e tudo aprova, principalmente o peixinho na brasa...e as ameijoas...?! Hummmmmmmmmmm...com aquele pãozinho da aldeia pá molhanga...com aquela sangria de vinho branco cheiiiiiiiiiiinha de frutinha e muiiiiiiiiiiiiiiiiito fresquinha....?!!!!!!!!!!! Este, não perdeu de todo a qualidade nem a atenção prestada ao cliente.Preço médio /alto

Agosto de 2005
MM

"Oh Porto" - Porto

Espaço vocacionado para jantares informais e comemorativos, sem grande exigência de serviços ou de requintes.

Sala ampla, mais ou menos agradavel, onde no meio impera um balcão central em que se podem avistar os menus que se podem apreciar nesse dia, pois que as refeições são tipo buffet. Desde saladas, a pratos principais de peixe ou de carne, de tudo se encontra um pouco nesta casa. À entrada é distribuido um cartão de consumo, para controlar os "exageros.. Sem grandes predicados, é a meu ver um local a ser evitado pelo apreciador exigente. 

Rua Mouzinho da Silveira, 10 - tel: 22.3390362 - email: ohporto@iol.pt

14 de Janeiro de 2005

AN

"O Chico" - S.Manços - Evora

Mais outro bom exemplo de um bom "poiso" alentejano. Aparência modesta, tipo "café-restaurante", uma só sala refeicoeira, não muito grande . Simpatia imensa tanto do Sr. Chico como de sua filha. Entradas de "estalo" em que imperam um queijo de cabra semi-fresco muito bom, alhada de cogumelos, figado de alhada ( delicioso ) -polvo no azeite ( demasiado rijo ) . Seguem-se as sopas, entre as quais uma sopa de Beldroegas com ovo, deliciosa, e nos pratos principais, lingua de porco estufada, borrego assado, favas guisadas com chouriço e toucinho frito, servidas com alface - curioso e a casar muito bem - Lombinhos de porco preto esfregados em pimentão.. Nas sobremesas, destaque para o marmelo assado com nozes, muitissimo bom. Lista de vinhos de qualidade.Convém reservar mesa. Preço acessível 

Rua do Sol 44-C - tel: 266-722208 - fecha à segunda feira.

29 de Outubro de 2004

AN

"O Chana do Bernardino" - Aldeia de Serra de Ossa - Portalegre - RIP

Aqui está um daqueles restaurantes que quem não conhece, não entra. A entrada é de uma taberna de beira de estrada, passando a taberna, entra-se numa salinha, é mesmo uma salinha, pois o espaço é pequeno e pouco confortável. Mas desengane-se quem julgar este “poiso” pela aparência, pois esta é uma verdadeira casa de pasto alentejana. Das entradas fazem parte,entre outras, uns pimentos assados temperados com bom azeite e envinagrados q.b., um figado de porco grelhado, cortado ás tiras, muito bem temperado com coentros,azeite e vinagre, farinheira grelhada, umas azeitonas também temperadas e um pão alentejano a sério. Já em relação aos pratos, depois de ouvir a ementa ditada pelo próprio Bernardino, podemos escolher, entre outros, os seguintes pratos (já provadose aprovados): sopa da panela, cozido de grão, ensopado de borrego, borrego assado no forno, favas estufadas com entrcosto frito, migas e açordas diversas. Em tempo de caça a ementa é adequada a quem gosta destas iguarias.Vinhos só mesmo do Alentejo.O serviço é super simpático e atencioso.

T.266909414 - Não encerra - Almoços das 12 às 15 e jantares das 19 às 20.30
AV

"O Ideal" - Cabanas - Tavira - RIP

Conheço um restaurante que acho que merece ser experimentado pela irmandade. Infelizmente,ou felizmente, é longe ,só dando para experimentar nas férias. É em Tavira, em Cabanas, e chama-se O Ideal. Lá é possível, entre outras coisas, deliciarmo-nos com uns filetes de pescada fresquíssimos, uma barrigada de atum, um bacalhau á Brás como há mto ñ experimentava,sopa de peixe,para quem aprecia, as famosas condelipas ou conquilhas e amêijoa preparada como só no Algarve o fazem com azeite alhos e coentros. Feijoada de lingueirão,secretos de porco. Cocktail de camarão,etc.. Quanto ás sobremesas....tem umas farófias como nunca comi em lado nenhum.A Dona Mª da Graça é quem faz os doces e leva uma mão !!!!! torta de amêndoa torta de figo,doce de alfarroba e amêndoa (que pensei ñ ligar nada bem) mas que é um manjar dos deuses.Doce de vinagre.Uma lista de vinhos abundante.Uma rapidez de atendimento e uma enorme simpatia.Pena o espaço ser pequeno para tanta clientela já que começa a ser demasiado famoso.Clientela a partir dos trinta com enorme diversidade de profissões,mto pessoal da televisões, do cinema(jantei ao lado da Rita Blanco,agora em Outubro) ,do jornalismo. 

Rua Infante D.Henrique - tel: 281 370232
ASC

"O Carteiro" - Porto

Iamos para este "poiso" com grande expectativa, devido a opiniões que ouviamos daqui e dali e devemos dizer que ficámos extremamente desiludidos. Nada de especial, quer em termos de carta, quer em termos de ambiente - música altíssima para uma sala pequena - e o menu, sem qualquer novidade, se bem que não se possa afirmar que se coma mal. Achámos também que fazer acompanhar quase todos os pratos com migas e castanhas, é simplesmente uma acção de "marketing", pois que migas e castanhas não ligam bem com tudo o que nos aparece pela frente. Ficámos mesmo tristes.

Rua Senhor da Boa Morte, 55 - telefone: 22-5321170

Agosto de 2004
AN

"Oporto Restaurante" - Porto

Ali mesmo em frente à Igreja de S. João da Foz, fica este simpático espaço, com óptimo ambiente, a fazer lembrar um bocado o estilo inglês e onde a carta tem algumas ofertas muito interessantes. Como entradas optámos pelas Gambas Alillo, que continuam a ser puras imitações, longe do que de melhor se faz. Também optámos por um Crocante de Camembert com Salsa frita e Compota, de muito bom agrado. Segui-se uma Pescada Recheada com Camarão que sem estar espectacular, estava boa e uma novidade para mim, o Bacalhau em Massa folhada, recheado com Gambas ( camarões...) e legumes, de muito bom sabor e extremamente agradável. No entanto a ideia com que ficámos foi a de que eventualmente todos os pratos estão já semi ou pré-preparados, pois a rapidez com que a comida veio ao nosso encontro foi meteórica, quase não nos deixando acabar as entradas. Aliás o serviço, atento e profissional revelou-se algo incomodativo entre as entradas e o prato principal, pois o funcionário rondou a mesa insistentemente, morto por trazer a ementa principal para a mesa...pois já estaria a arrefecer. Nota para o facto do gerente estar atento ao que voltava para dentro, deixando uma simpática sugestão para a próxima vez que lá voltemos.Preço médio/alto.

Largo da Igreja da Foz - 105/107 - telefone: 22-6100727
AN

"O Torrão" - Peso da Régua - Vila Real

Ali á saída da Régua para Lamego, logo a seguir à ponte, do lado direito, existe este espaço que, apesar de incaracterístico, tem uma lindíssima vista sobre o Douro, uma ampla sala com boa amesendação e um serviço sem muitas falhas. De salientar a excelente Espetada de Polvo, o cabrito Assado no forno e o Bolo de S. Marcos, delicioso. Pode-se também optar pelas espetadas de carne, todas elas com excelente aspecto. Óptimo vinho da casa...do Douro, evidentemente.

AN
 

"O Sever" - Portagem - Marvão - Portalegre - RIP

Antes de se subir para Marvão, ali na Portagem, junto ao rio, existe este restaurante muito agradável, a confeccionar bem o receituário tradicional alentejano. Sem ser um "poiso" extraordinário, é precisamente por causa disso que é bom, pois sempre que por lá passámosi, todos os pratos que comemos estavam sempre deliciosos. Uma boa lista de vinhos alentejanos e a melhor Encharcada que comemos em todo o Alentejo. Recomenda-se uma visita a quem passe por lá. Ambiente muito agradável. Preço médio.

Telefone: 245 - 993318
AN

"O Arquinho do Castelo" - Leça da Palmeira - Porto

O Arquinho do Castelo é um daqueles poisos que, apesar da sua qualidade reconhecida especialmente na confecção de pratos de peixe, nunca nos "encheu" as medidas em termos de o poder recomendar com "alma",pois que não pensamos seja soberbo.Apesar de alguns pratos que lá comemos por mais de uma vez serem de boa confecção, pensamos que naquela zona outros existem e dos quais daremos novas, com uma relação qualidade/preço/serviço de melhor nota. De qualquer forma, um porto mais ou menos seguro , numa emergência. Atenção aos preços,às vezes injustificáveis.

Rua de Fuzelhas, 192 - telefone: 229 951 506

AN

"O Barro" - Redondo - Evora

Fomos no ano de 2001 a este restaurante, curiosos por saber porque razão tal tinha sido nomeado o "Restaurante do Ano 2000" da Revista de Vinhos. Duas salas de refeição em r/c e primeiro andar, muito engraçadas, confortáveis, acolhedoras. No entanto a comida que veio para a mesa, apesar de tipicamente trastagana e confeccionada dentro dos parametros normais , em nada nos surpreendeu, ou melhor, em nada nos encantou. E aqui os "jes" precisamos ficar encantados, especialmente quando um restaurante é "eleito" pelos " especialistas" ( ????). Restaurante do Ano. Resultado: cada vez mais desconfiamos destas atribuições que a nós nos parecem cada vez mais suspeitas...e de "boa vontade" Preço médio/elevado

Novembro de 2001 

Rua D. Arnilda e Eliezer Kamenezky, 44Tel: 917239899 / 93323989
AN

"O Afonso" - Mora - Evora - RIP

Um caso curioso. Quem o vê por fora - tipo café - não dá por este "poiso" nada. Mais, se calhar até passa despercebido, mas depois de lá se entrar e depois da comida começar a chegar á mesa, bem, estamos perante qualquer coisa de muitíssimo especial. Para além das entradas, todas elas de excelente agrado, - cana de porco preto de altíssima qualidade, torresmos, queijos da região - deparamo-nos entroutras iguarias, com umas migas de espargos alimados com carne de porco - deliciosas - um arroz de lebre - exxxxcelente - perdiz à D. Bia - hmmmmm - assim como o pombo. Como sobremesa, de realçar um soberbo pudim de café, delicioso. É dos tais "poisos" que merecem "excursão obrigatória".

Com continuas visitas a este Poiso,constatamos que a qualidade mantem-se inalterada e a sala principal foi toda remodeldada, tornando este Poiso ainda mais confortável.

Largo da Misericórdia - tel:266403166 - Mora

AN

"O Paparico" - Porto - RIP

Uma casa de bem comer.Ambiente muito calmo e agradavel. Muito profissionalismo. Um posta mirandesa - ou arouquesa ? - de bom nível. Um bacalhau assado com batata a murro, enorme e de boa apresentação. Um excelente vinho tinto do Dão,da Adega Cooperativa de Vila Nova de Tázem,servido em decanter mas demasiadamente aquecido para estar perfeito. 

Rua de Costa Cabral, 2343 - Tel:225400548
AN

"Museu do Pão" - Seia

Gostaria de apresentar um poiso que tive o privilégio de conhecer à uns tempos atrás. É o restaurante do museu nacional do pão - Em SEIA.

"Espaço de sabores. Mais do que um restaurante, trata-se de um local onde se recuperam os sabores tradicionais da nossa gastronomia. Através de uma investigação sempre renovada, a tradição da mesa nacional ressurge diariamente.

Menu - 22 entradas tradicionais (buffet); 12 pães diferentes (buffet); 2 pratos quentes (um de peixe e um de carne); 12 sobremesas tradicionais (buffet). Preço 14.5 € por pessoa (bebidas não incluídas)."

Sem dúvida um local de eleição, pois além do espectacular restaurante podemos tambem visitar o museu do pão, bem como adquirir algumas iguarias da região na mercearia existente, onde encontramos tambem uma grande variedade de pão.

Quinta Fonte do Marrão - Seia

6270-501 SEIA 

Tel:238310760 

www.museudopao.com
Cristiano Magalhães

"Moiras Encantadas" - Paderne - Albufeira - RIP

Paderne, fica entre Ferreiras e Albufeira, para quem não sabe.

Comi divinalmente. Sala muito simpatica e acolhedora para o Inverno pois que para o Verão aconselho vivamente a que comam ca fora, debaixo de uma latada muito agradavel, que foi o que eu fiz. Para isto teem que fazer a reserva com pelo menos 2 dias de antecedencia. Pelo menos em Agosto, nos outros meses não faço a menor ideia! Empregados e patrões atenciosissimos e atentos a tudo, qualidade cada vez mais dificil de encontrar por restaurantes algarvios principalmente. 

Ementa muito variada, de salientar o polvo assado e as costelinhas de borrego...uma delicia! De entradas, o queijo de cabra gratinado com doce da casa(que era de tomate), hummmmmmmmmmmmmmmmmmmm...!Um verdadeiro manjar de deuses!

Lista de vinhos enorme. Eu escolhi um brancol muito fresquinho - Quinta de Monte Travesso - Tabuaço - Douro (tb existe tinto e rose). Sobremesas tambem uma boa variedade, de salientar, doces tipicos do Algarve, mas que nada provei pois ja não tinha estomago para mais, só cafezinho. As doses dão para duas pessoas se se "entrar" nas entradas. Os chefes da cozinha são os proprietários, casal algarvio, de Boliqueime, muito simpatico.

Restaurante "Moiras Encantadas"

Paderne - tel: 289368797

Agosto de 2005
MM

"Mar à Vista" - Ericeira

Este “poiso” é uma tasquinha sem grandes comodidades, mas onde se come mesmo muito bem. Aqui só vai quem gosta de marisco, pois não vai encontrar outros pratos. Só mesmo camarão da costa, percebes, búzios, lavagante, santola, sapateira....Para os miúdos (e só mesmo para crianças) fazem bitoques. O marisco é fresquíssimo e muito bem cozinhado. Vale bem a pena uma visita. Como disse só servem mesmo marisco, nem sobremesas nem mesmo café. Este, pode-se tomar, quando o tempo o permite, nas muitas esplanadas que existem na Ericeira, bem perto do restaurante. Reserva obrigatória, pois está sempre cheio, mesmo aos dias de semana.

Rua de Sto. António, 16 - tel:261862928 - Encerra à quarta-feira

Ana Viana

"Margarida da Praça" - Viana do Castelo

Outro bom exemplo da Viana do Castelo .Antes de mais, uma sala muito agradavel,pequena, acolhedora. Um serviço muito profissional, simpático, atencioso. Umas entradas de "estalo", com uns mexilhões maravilhosos, uns pimentos "padron" agradaveis, tomate com mozarella muito agradavel, umas tamaras com bacon muito boas ( se bem que o bacon estivesse para a "gestora" ligeiramente passado de mais ). Nos pratos a "sério", um Bacalhau da Sogra de bom tom,( ligeiramente frito e passado por pão ralado antes de se meter no forno com umas batatinhas assadas, rechedas com alho, uma delicia ) um bife com queijo ( não da Serra ) de grande agrado, um Javali à moda do chefe também com excelente aceitação e por fim um "quase-verdadeiro" Abade de Priscos de muito boa nota. Preço muito aceitável atendendo ao "conjunto"

Largo 5 de Outubro, 58 - 258 809630
AN

"Maria Rita" - Romeu - Mirandela - Bragança - RIP


No IP4, após Mirandela e um pouco antes da saida para Macedo de Cavaleiros, existe uma saida para Romeu, pequena aldeia que outrora albergava a familia Clemente Menéres e a sua indústria. Romeu é hoje não mais que uma pequena aldeia semi-povoada, onde vamos encontrar este magnifico "poiso"., em instalações recuperadas, muito bonitas. Para além dos pratos tradicionais da região - bacalhaus, cabritos, e outros petiscos,- aqui vai-se sobretudo pela Sopa Seca da Maria Rita. Um prato transmontano excepcional que mais não é que um espantoso cozido de carnes, grão e legumes, que vai ao forno com fatias de pão por cima para tostar, antes de vir para a mesa. Quem não experimentou, não sabe o que perde. Serviço á "antiga "com empregadas fardadas como " il faut" e sem grandes falhas. A experimentar pelo gastrónomo curioso e exigente.

fecha ao domingo à noite e segunda feira

Tel: 278939134
5370-620 Romeu - Mirandela

AM

"Labutes" - Setubal - Lisboa

Na cidade do rio Azul, fica este pequeno Poiso cujo nome vem da leitura invertida da cidade que me viu crescer. Fica situado junto ao parque do Bonfim, mesmo ali á beirinha do estádio do meu Vitória. 

Casa pequena e acolhedora, onde fomos poisar um deste dias.

Pecando por um serviço á mesa que necessita de mais empregados, comeram-se uma boa Costoleta de Novilho na grelha e um magnífico Tornedó. Carta de vinhos com bastante oferta, e nas sobremesas o destaque para umas farófias caseiras de chorar por mais. 

Restaurante “Labutes” 

Av. 22 de Dezembro, 45 - Setúbal

Tel: 265 527 505

Julho de 2005

FF

"Joaquim da Praça" - Aldeia Ruiva - S.Bartolomeu de Messines - Faro

Sempre que vamos para o Algarve, apontamos para passar na saída da auto-estrada para Messines a horas de almoço ou de jantar para irmos a este restaurante.Come-se muito bem, de entradas tem umas amêijoas óptimas e uns cogumelos com alho na frigideira, de chorar por mais...Tem também bom marisco para quem queira petiscar.Costeletinhas de borrego e boa carne. Massada de tamboril muito boa. Dá perfeitamente para levar crianças (achamos importante referir). Fazem também sumo de laranja natural (para fugirmos dos refrigerantes tão pedidos pelos filhos!).Tem estacionamento e no Verão convém marcar mesa.

Encerra às quartas-feiras. Almoços 11h30 às 15h00 Jantares 18h30 às 24h00

Tel. 282339487 - T.M. 917602298
Ana Viana

"Horta dos Reis" - Vila Nova de Gaia - Porto

Um espaço muito interessante, acolhedor, com uma sala muito apelativa ,bem conseguida e ambiente a condizer. Uma boa cozinha tradicional com algumas surpresas bem elaboradas, donde sobressaem o Bacalhau com Broa e presunto, os secretos de Porco Preto com Açorda de Coentros - mais de tomate e menos de coentros, segundo apreciação de uma das comensais - e um Folhado de Pescada com Legumes de boa nota ( não será propriamente massa folhada segundo a Teresa ) mas mesmo assim, apetecivel. Nas sobremesas, uma carta variada mas sem novidades. Carta de vinhos correcta. Muito agradavel. Preço médio/alto

Julho de 2004

Rua Camilo Castelo Branco, 947 - telefone: 22-3770324

AN

"Grade" - Leça da Palmeira - Porto

Era eu adolescente e costumava ir com os amigos a uma casa em Perafita, a Casa Alves, onde se comiam uma Lulas à Setubalense - deliciosas, com molho de tomate - que ficaram sempre na minha memória. Abriu mais tarde o proprietário , sr. Alves, a Grade em Leça da Palmeira, que agora, gerida por seu filho, mantém a qualidade que tinha, com óptimos produtos do mar, fresquíssimos, dentre os quais saliento uma Massada de Peixe, deliciosa. Degustámos também uns Rojões de Porco Preto, soberbos. A visitar por todos aqueles que apreciem uma refeição de qualidade

Rua Brito Pais, 217 - telefone: 22-9955761
AN

"Farrapo Velho" - Porto

Desta feita fomos na companhia do mano Lourenço, experimentar o Farrapo Velho, restaurante de bacalhau. Pessoalmente acho que é um arrojo num restaurante, servirem-se só pratos de bacalhau, por duas razões: limita logo a clientela que lá vai - conheço pessoas que não só não comem bacalhau, como não comem peixe, opções como outras quaisquer - e por outro lado, sendo que o fiel amigo é não só cozinhado em nossas casas muitas vezes de formas simples mas soberbas nas suas variações mais conhecidas, como em inúmeros poisos por esse país, é de louvar a existência desta casa. Seja como fôr, primeira constatação, o local não é o mais propício para se ter um restaurante - a casa tem parqueamento na parte de trás - mas como está integrada num edificio moderno, ter uma sala refeiçoeira nestas condições, não é fácil. Ao entrarmos na mesma, os nossos sentidos olfactivos levam-nos logo para o Mar do Norte, pois que é mesmo a isso que cheira: a bacalhau que está a ser devidamente cozinhado. A amesendação é correcta, se bem que por vezes sentimos as mesas muito chegadas. O arranjo das mesmas é muito cuidado, com pormenores simples mas de bom gosto. A D. Manuela, proprietária da casa juntamente com o seu marido, Sr. Armando - ambos muito acessiveis e extremamente simpáticos - traz-nos a ementa e "voilá": só bacalhau. Mas existe um menu para crianças. Bem pensado. E as escolhas são variadas, a começar por Caras de Bacalhau e a acabar em Feijoada de Bacalhau. No meio disto, há de tudo: espetada mista de bacalhau, açorda de bacalhau, bacalhau á lagareiro, cozido com todos, farrapo velho, etc etc etc. A casa serve todos os dias o Farrapo Velho - o sr. Armando diz-nos garbosamente que é o unico restaurante do mundo a fazê-lo - e enquanto estamos à espera das entradas, picando uns bolinhos de bacalhau, pataniscas e tortilha de bacalhau - o sr. Armando vai-nos dando noticias e informações interessantes sobre o fiel amigo, da forma como o mesmo é pescado, importado, a razão porque os jovens a seu ver, não gostam de peixe em geral e de bacalhau em particular. Um bom anfitrião, sem dúvida. Provámos pela primeira vez, ovas de bacalhau, muito boas. Para entradas experimentámos bacalhau desfiado, com migas, feijão frade e couve galega cegada.Muito agradavel. Para principais, Bacalhau á Narcisa para a mana Mé, Bacalhau à lagareiro para o Lourenço e feijoada de bacalhau para mim. Falarei somente da feijoada, que é no minimo, muito interessante, com bicho de boa qualidade e um sabor muitissimo bom, acompanhada de arroz branco, bem feito. Acompanhei a minha refeição com um Verde tinto de Barcelos, muito bom - só acompanho qualquer prato de bacalhau com verde tinto. Antes de virem as sobremesas ainda fomos presenteados com uma pequena amostra de farrapo velho, bom mas e como tinha a nosso ver cominhos - que podem ser pedidos ou não quando se pede o prato - retira a meu ver o sabor tradicional nortenho do farrapo velho. Nem pior nem melhor que o que se faz cá em casa pelas mãos da mana Mé no dia seguinte à ceia de Natal, diferente contudo mas menos do meu agrado. Gosto pessoal. Nas sobremesas vieram 3 rabanadas, a meu ver muito boas. Fechámos com um café e uma aguardente VallePradinhos, deliciosa. Voltaremos concerteza mais do que uma vez ao Farrapo Velho, para degustar as outras ofertas - por exemplo a açorda ,o cozido com todos e a espetada - deste Poiso com serviço atento e proprietários muito acessiveis, simpáticos e diligentes. 


Farrapo Velho - Restaurante de Bacalhau Lda 
Estrada Exterior da Circunvalação, 10262 - 4465-084 - S.Mamede Infesta 
telefone: 229538696 
Fecha às 5as feiras - aceita cartões
AN

"Flor de Sal" - Vila Nova de Gaia - Porto

Uma surpresa muito interessante. Sala acolhedora, com uma decoração a nosso ver duvidosa - não gostámos de estar rodeado de peles de vaca - mas o conjunto é como dissemos acolhedor, com um bar á entrada para ir "entretendo" os comensais. Entradas variadas, entre as quais calamares, pimentinhos padrón, ovos com espargos, mexilhões, enchidos muito bons, enfim uma panóplia interessante. Para além daquilo que nos levou lá da primeira vez -Sopa Seca,- diferente da Sopa Seca do Maria Rita em Romeu, mas mesmo assim, de muito boa nota, nem pior nem melhor, diferente - .existem no menu coisas interessantes que experimentámos numa outra ida, como os pratos de peixe - Bacalhau com coentros, um polvo à Flor de Sal,muito tenro,linguado em massa folhada - hmmmm - , lombo de tamboril com bacon e uma excelente massa fresca com gambas. Nas carnes um bife com broa de belo efeito e sabor, peito de frango com massa folhada, ou lombinho de porco com pistachios,- interessante -. assim como o tornedó de pato. Entre as sobremesas, optámos por um merengue com ovos, delicioso. O serviço não é mau se bem que nada de especial. No conjunto, um "poiso" agradável para se passar uma boa refeição em boa companhia..


Alameda da Empresa, 100 - tel: 22 3744543
AN

"Flor do Castelo" - Leça da Palmeira - Porto - RIP

Atenção que quem aqui fôr...tem de ir com tempo e boa disposição. O "poiso" não é barato, mas a nosso ver vale bem a pena. Essencialmente o que acontece nesta simpática casa é que ao sentar-mo-nos somos "invadidos" por tal panóplia de entradas, todas elas excelentes que, quando somos abordados para escolhermos o prato principal...já não há espaço para mais. Assim aconselhamos a quem lá vá, que se retraia um pouco nas mesmas - que só elas são uma óptima refeição - para poderem depois saborear as ofertas principais que a casa tem. Muito agradável.Sala pequena a requerer marcação prévia. Ambiente simpático para uma refeição a dois ou com um pequeno grupo de amigos. Continua a manter a qualidade do menu e do serviço através dos tempos. Parabéns

Rua de Santa Catarina 102 - ( ao largo do Castelo )telefone: 229 951 651

AN

"Foz Velha" - Porto - RIP

É para já e continua a ser, um dos "muito bons" restaurantes da cidade do Porto. É dos tais "poisos" em que a paixão saber e grande profissionalismo dos seus proprietários resultam numa descoberta de novos sabores, todos eles baseados em produtos da gastronomia tradicional portuguesa, com uma apresentação ímpar e qualidade de confecção acima de qualquer suspeita. Serviço muito simpático, atento, extremamente profissional, ambiente requintado mas muito agradável, sala ampla e bem apresentada, uma refeição no Foz Velha é antes de mais uma aventura gastronómica com requinte e um festival sensorial para o palato e para a vista. Aconselho os menus de degustação - qual deles o melhor – pois é a única maneira de nos apercebermos da “riqueza” e invenção que abundam naquela casa. A "consumir" por apreciadores. A gastronomia tradicional portuguesa à século XXI. Preço médio/elevado

Esplanada do Castelo, 141 - Porto - tel-226154178 - www.fozvelha.com

Artur

"Escorropicha Ana" - Carrapichana - Celorico da Beira - Viseu

No sentido Gouveia -> Celorico da Beira deparamo-nos com a placa indicando Carrapichana. Umas centenas de metros depois temos á direita o desvio para Linhares da Beira. Mas não é por aí que vamos, não. Pelo menos por agora. Deixemos este sublime "regresso ao passado" para depois do repasto e aí sim: subamos até Linhares e deixemo-nos embriagar pelas gentes, pelas ruelas graníticas, pelo castelo altaneiro, pelos odores, pela brisa do vento que sopra lá no alto. Bebamos, por exemplo um cafézinho no café Mimoso ou um trago de água límpida e fresca na fonte de São Caetano. Subamos à Corredoura e tentemos "fotografar" com o olhar tudo o que a vista consegue alcançar.

Mas voltemos ao cruzamento. Se não se vira á direita, voltemos então á esquerda continuando até ao largo da feira. Aí chegados não há que enganar. "Escorropicha, Ana" dá nome a uma casa granítica que é, para nós, um dos poisos, um dos "santuários" gastronómicos que não dispensamos.Havendo marcação (indispensável) somos convidados a entrar e logo aí, no rés-do-chão, começamos a "viver" o poiso. Vale a pena não subir logo ao primeiro andar, tomando antes um aperitivo e apreciar toda a envolvente.Já lá em cima e depois de bem acomodados podemos começar com as entradas ou ir directos para os pratos principais.Nas primeiras encontramos uma diversa panóplia de sabores escondidos nos diferentes enchidos, nos peixinhos da horta, nos carapauzinhos de escabeche, nos pastelinhos de bacalhau e em outras tantas e saborosas iguarias.Se formos directos para os pratos principais e enquanto nos entretemos com um delicioso pão de centeio e uma azeitonita galega bem apaladada podemos escolher entre umas migas de bacalhau com broa servidas numa telha de barro (que já tiveram, em nossa opinião, mais bacalhau tendo sido de imediato o Sr. António, chefe de cozinha, "admoestado" em conformidade por tal situação), um polvo à lagareiro, um bacalhau à lagareiro, um excelente cabrito assado no forno servido igualmente numa telha de barro, ou um cabritinho ao alhinho ou um borreguinho de leite na brasa ou uma picanha na telha, ou…..ou tanta outra coisa que só vendo.Na hora da sobremesa mais um momento indiscritível. Entre umas boas duas dúzias de doces onde não falham os tradicionais arroz doce e leite creme, ou diversos queijos (acompanhados com marmelada, por exemplo) e presuntos, tanto há para escolher. Se calhar o melhor é fazer como fez a Anabela: um prato onde tiveram lugar bocadinhos dos vários doces. Já eu deixei-me levar nas "asas" de um requeijão com doce de abóbora. Acho que toquei o céu.Um cafézinho normal e licores, aguardentes , vinho do Porto para servir á descrição em "dedais" rematam este soberbo repasto. Ah, é verdade. O almoço foi regado com um tinto de Vila Nova de Tázem, ali tão perto, servido num rústico jarro de barro preto.Preço a rondar os 25Euros por pessoa. Se "desprezar-mos" as entradas será um pouco menor.

Tel: 271.776691 Tlm: 93.9489693 Fechado às 2ªs, 3ªs e 4ª-feira
FF

"Dona Lourdes" - Maia - Porto


No centro da cidade da Maia, encontramos numa das suas principais avenidas, este Poiso de qualidade, com uma sala ampla, bem arranjada, com excelente iluminação noturna, que lhe dá um ambiente muito agradavel. As paredes recheadas de diplomas com prémos ganhos, é uma nota digna de respeito.E na realidade o Dona Lourdes merece-o. O sr.Humberto, pleno de simpatia, gere com muita atenção a sala, dando uma ajuda na cozinha - que fica à vista de toda a gente - quando tal é necessário e servindo às mesas também com desenvoltura. Pão muito bom, azeitonas bem temperadas, umas pataniscas de bacalhau muito boas, costelinhas de porco preto para rilhar, vão entretendo os comensais. A ementa, extensa, cobre praticamente o essencial da gastronomia tradiconal nortenha, desde os peixe fresco para assar, grelhar ou fritar, os bacalhaus habituais - cozido com todos,à lagareiro,à D.Lourdes - frito com cebolada e batata frita - lulas e polvo nas suas mais famosas confecções - grelhadas, á Lagareiro ou com milho verde. Nas carnes - todas elas de sabor e qualidade excelente - nota para os miminhos de vitela com champignons, miminos de boi, vitela na brasa - excelente - secretos e plumas de porco preto, bife à Mostarda, à cortador e à D.Lourdes. Boa carta de vinhos, de onde sobressai o vinho branco da casa da zona de Baião, muito bom. Nas sobremesas, doçaria conventual, tarte de maçã com nozes,torta alemã, cheese cake,quindão, bavaroise de maracujá, entroutras.Preço médio.

Avenida António Santos Leite, 265 - Maia

Telefone: 22 9483680

Fecha Domingo ao jantar

Setembro de 2006

Artur


"Dunas" - Mindelo - Vila do Conde - Porto

Uma surpresa, este Dunas. Sala muito agradavel, serviço sem grandes falhas e um menu de qualidade e com qualidade.Uma tábua de queijos servida com o "couvert", um presunto fatiado fininho, muito bom. Desta vez, um Robalo Escalado ( aberto em dois e grelhado na brasa ), bem temperado com alho, com batatinhas a murro e grelos salteados. Um leite creme queimado de boa nota e um vinho tinto da casa ( Douro ) servido em decanter ( ou 1/2 decanter )de boa têmpera.

No final, o preço foi também uma agradavel surpresa.A repetir, para provar outra especialidade da casa, o Arroz de Tamboril com Gambas.

Av. Marginal 1 Mindelo Vila Chã, VILA CHÃ VCD, PORTO 4485-471 

252671440

Artur

quarta-feira, 13 de maio de 2009

"Cais de Ferradosa" - Ferradosa - Vale de Figueira - Dist. Viseu

Uma recuperação muito bem conseguida de uma antiga estação de final de linha - estou em crer que serviria somente para a recolha das uvas em plena epoca de vindimas - com muito boa luz, amesendação correcta e um situação mesmo ali por cima do rio Douro. De certa forma digo que pelo meu lado e na parte gastronómica, fiquei um pouco desiludido, sendo que nenhum dos pratos que provei fossem qualquer coisa de extraordinário.Um bacalhau no pão que não sendo mau, mereceria uma bicho de melhor qualidade, um Polvo á Lagareiro muito fraco, uma Grelhada de Porco Preto dentro da normalidade, um cabrito assado no forno que não estaria por aí além, uma espetada de porco preto que tinha muito bom aspecto, umas postas Arouquesas grandes, com carne de boa qualidade. De salientar o vinho escolhido pelos Vilaverde, Fuseiro, Touriga nacional, de estalo. Sobremesas normais,sem grandes espantos,mas muito fracas também, entre as quais umas profiteroles...congeladas.

Artur

"Casa Nanda" - Porto - RIP

Casa antiga na cidade do Porto, esta Casa Nanda continua a ser um caso simples, mas sério, da boa cozinha tradicional portuguesa, na Invicta e a manter a qualidade através dos anos. Sala de dimensões médias, algo incaracterística mas onde se vai lá para se comer bem.Casa dirigida pela D.Fernanda, sempre atenta e muito simpática,coadjuvada pelo marido. Os petiscos tripeiros à mesa.

Entradas muito boas, para além das sopas - Sopa de legumes, canja de galinha, caldo verde e papas de sarrabulho- , presunto bem curado muito bom,azeitonas, petingas fritas de excelente qualidade e sabor,pataniscas de bacalhau, croquetes fritos na hora,pasteizinhos de bacalhau, tudo uma delicia.

Nos peixes e como especialidade da casa, temos uns filetes de polvo soberbos, acompanhados de arroz do mesmo ou com um arroz de legumes, muitissimo bom. Filetes de pescada sempre frescos e diversos peixes para trabalhar no forno ou na grelha, sempre frescos e deliciosos,para além de arroz de feijão com filetes de bacalhau, arroz de bacalhau com bolinhos de bacalhau. Nas carnes temos rojões, vitela assada e tripas, entre outras hipóteses.

Nas sobremesas a tradicional maçã assada, um pudim flan em forminhas individuais, de estalo e salada de fruta.Vinho da casa branco e tinto muito bom. Preço médio.

Rua da Alegria, 394 - tel: 22-5370575

Outubro de 2005
Artur

"Casa d'Armas - Viana do Castelo


No último ano e meio abriram em Viana do Castelo, 26 casas de restauração de todos os tipos, sendo que na zona, se podem encontrar desde bons tasquinhos a bons restaurantes mais sofisticados.

O Casa D'Armas - que ocupa uma antiga mansão senhorial que data de 1702- encontra-se inserido neste último grupo e já com alguns anos de laboração, continua a apresentar uma qualidade global de bom nivel. Sala muito agradavel, com amesendação muito correcta, decoração agradavel, tudo conjugado para que uma refeição nesta casa, dirigida pelo Sr. Fernando Julião - barman de formação - coadjuvado pela sua mulher D. Nidia - na cozinha naturalmente - e seu fiho Emanuel, se torne num autentico prazer.

À entrada, do lado direito, encontramos uma belissimo balcao todo em madeira - muito antigo e resgatado do antigo hotel Europa demolido em 1906, levado para o restaurante 80 anos depois - onde se podem beber uns aperitivos e estar em conversa amena, antes de nos sentarmos à mesa. Nesta casa tudo é feito na altura e enquanto esperamos, há que degustar o couvert que é composto entroutras coisas boas, de frango panado em massa folhada,rollinhos de bacon e salsicha grelhados,sapateira recheada, para além do pao e da manteiga, sempre benvindos.

De notar que a carta tem bem explicito o preço de cada um destes elementos, de forma a que o cliente saboreie só aquilo que pretender, sendo que deverá mandar retirar aquilo que não deseje.

Espargos verdes recheados com bacon - muito bons - camarão ao alho ,salmão fumado e saladinha de camarão, fazem parte das entradas. Nos peixes- sempre frescos - podem-se escolher o rodovalho, cherne ou robalo,grelhados ou cozinhados com arroz. O "fiel amigo" está também representado na versão Bacalhau à Casa D'Armas. O arroz e a açorda de marisco estão também disponiveis, assim como uma deliciosa pescada à Casa d'Armas - cozida com ervas e recheda com gambas - de estalo. Nas carnes podem-se saborerar, para além dos tradicionais bifes com cogumelos e ao alho, o tornedó à Casa d'Armas - dois pedaços de lombo muito bom - e Terra e Mar - um naco de carne de lombo, com camarão por cima - ambos flamejados com rum.Uma delicia. 

Nos grelhados encontramos a picanha, o rosbife e o lombo, qualquer um aposta segura, para os menos destemidos. Chegados que somos às sobremesas, basta-nos escolher de um pequeno carrinho, cerca de 8 variedades de coisas boas e doces. A carta de vinhos é completa e o serviço muito atento e profissional. De notar que a ementa é toda detalhada na carta e como nota de rodapé a informação de que as carnes são todas mal passadas, de forma a evitarem-se mal entendidos e dar a prévia escolha ao comensal de como deseja ser servido neste particular.

Largo 5 de Outubro, 30 - Viana do Castelo

12.305hrs/15 hrs - 19.30/ 22.30 - Fecha à quarta feira

tel: 258 824999

Julho de 2005

Artur


"Cozinha da Terra" - Louredo - Paredes - RIP



Aproveitando e muito bem uma casa de quinta e integrado num projecto da Casa de Louredo, encontramos esta casa de muito bem comer, que serviu de palco ao jantar do nosso IV encontro. Dirigida pela D.Teresa, o que aqui se come é de muita qualidade, com serviço atento e muito simpático.Casa antiga,em pedra, muito bonita,em que se entra para a sala de jantar pela divisão que alberga também a cozinha, logo somos invadidos por sensações olfactivas que nos fazem adivinhar que a coisa vai ser "a doer". E não nos enganámos. Salas muito bonitas e acolhedoras, bem decoradas, com boa iluminação e uma amesendação correcta. A D.Teresa vai-nos aconselhando sobre o que está à disposição na carta.

Entradas muito variadas e muito boas - pataniscas, legumes gratinados com queijo, peixinhos da horta, sopa excelente, fatias de queijo e fumeiro com tomate e uvas polvilhados com oregãos, gambas com peixe e molho de tomate - que, se não temos um pouco de tino, depressa ficamos com pouco espaço para o que vem a seguir. E a seguir...bem, a seguir é um festival de coisas boas, escolhidas previamente pelos comensais, que seria um pouco maçador descrever.Mas...bem, desde um Bacalhau no forno com "coberta" de broa de muito bom efeito, passando por Costelinhas de Borrego grelhadas no ponto, um Arroz de Pato excepcional, tudo o que nos foi servido, com imensa simpatia, estava soberbo. Nas visitas subsequentes, as ofertas foram variando, com novidades. Sempre que por lá passamos, há sempre alguma coisa nova. O vinho da casa é muito bom e nas sobremesas optámos por um "rodizio" de coisas muito muito boas - e doces obviamente. A D.Teresa Ruão, cozinha com paixão e conhecimento e gosta daquilo que faz.

Lugar da Herdade,8 -Louredo- Paredes

Telefone: 255-780900- 918756248

www.cozinhadaterra.com

Fecha domingo a jantar e segunda feira

Visitado com frequência
Artur

"Casa das Velhas" - Vila Nova de Cerveira - Viana do Castelo - RIP


Com uma vista muito bonita sobre o rio Minho e com uma esplanada exterior que convida à preguiça e contemplação, está esta casa de bem comer e servir, que faz parte de um empreendimento turistico chamado Quinta das Mineirinhas. Salas muito agradaveis e bem decoradas, com simplicidade, amesendação correcta, serviço atento e boa qualidade no que vem para a mesa.Entradas variadas, não muito diversas mas boas e uma ementa que não sendo demadiado extensa, nos pareceu correcta e com algumas coisas interessantes, desde os bacalhaus tradicionais, ao polvo, ao savel, muita coisa boa há para escolher, vindo do mar e do rio e nas carnes, desde uma posta á Mirandesa , até a uma costelinhas de anho grelhadas, muito em temperadas e acompanhadas por umas deliciosas batatas fritas às rodelas, e um Arroz de Pato que, não fôra o queijo e um pouco mais de "gordura" diriamos estaria excelente.De qualquer forma muito bom para quem é apreciador do arroz do marreco, com o queijo gratinado por cima. Lista de vinhos correcta e com qualidade.Sobremesas regulares, com um pretenso Abade de Priscos, que de Abade nao tinha nada.No entanto de salientar que fizemos esta observação à empregada , que a aceitou de bom grado, tendo o gerente da casa falado propositadamente connosco, para ouvir a nossa sugestão. De louvar e bater palmas.Muito bem. Resultado: uma óptima casa de bem comer, com uma situação invejável e muito agradavel. Preço médio. 

Lugar Quinta das Mineirinhas, Vila Nova de Cerveira - tel: 251 708482

Não fecha. Visita efectuada em Maio de 2005

Artur

"Casa Borges" - Corrilhã - Viana do Castelo


Casa Borges é o poiso que visitei no sabado passado, dia 12 de Fevereiro, aconselhada e levada por um grupo de amigos que ja conhecia o dito.Espectativa...? muitissima...!, pois que me diziam "mundos e fundos", não do espaço em si, mas do óptimo arroz de sarrabulho com rojões que por lá se serve.

Fica este situado na Corrilhã. 

Vai-se pela IC1, quem sai do Porto é claro, e sai-se na primeira que diz Ponte de Lima. Sem mais viragens e depois de se andar...sei lá quanto...?! um bocadito...10 a 15 minutos, talvez... encontra-se, do lado esquerdo da estrada, a dita Casa Borges, é só ir com um bocadito de atençao e não ha que enganar! Para marcações, que aconselham fazer aquando de grupos grandes, o numero de telefone é 258942442. 

A dona e cozinheira é a Dona Gracinda que, gentilmente e á sua maneira, mas com ar pouco asseado (o que m deixou logo de pé atrás), vem á mesa dar as boas vindas ao "pessoal". 

O espaço é tasco mesmo, tal como me haviam descrito, só que não me avisaram é que era também uma "arca frigorifica"! Um gelo...brrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr! Nada aconselhvel portanto no Inverno o que é pena, pois que o ´Arroz de Sarrabulho só se come nesta altura! Julgo eu...ops...ou estarei enganada? Se estou perdoem-me a ignorãncia! 

Não sei se por o frio que lá apanhei se por o que foi, eu não fiquei com vontade de lá voltar, mesmo depois de me terem garantido que desta vez tivemos azar, que não estava tão bom como o costume...não sei...!Se quiserem vão lá tirar as dúvidas, pode ser que tenham mais sorte que eu e me convençam de que, realmente eu tiive azar no dia em que fui e que, sim senhor, vale a pena a deslocação! 

Como petiscos, para entreter enquanto faziam o arrozito foi-nos servido, brôa de milho, azeitonas e uma chouriça assada que, para meu gosto, tinha uma boa vinha de alhos, mas com exagero de picante e carne muito mal curtida....pena ou azar?!!!!!!!!!!!

Foi-nos servido o vinho da casa, único por acaso...azar também ou garrafeira pouco prevenida?! Era um vinho da região, verde tinto, com piquinhos, nada mau como refresco...ilustro como podem ver com foto á garrafa do dito. Não de efeitos secundários para quem conduz é verdade...mas para quem queira falar e sorrir a seguir é uma desgraça...! Fica-se com a lingua, labios e dentes em mísero estado...qual veste de Senhor dos Passos!!!!!!!!!!!!!! Meus Deus! Nunca tal tinha visto!

E, ao fim de mais ou menos 30 a 40 minutos lá aparece o tão falado arrozito(ilustrado tb ). Nada mau é verdade, mas também nada do outro mundo! Estava quentinho, embora num ápice, depois de colocado no prato e senão comido muito rapidamente,gelasse devido á temperatura do "salão". Os rojões so apareceram quando já estava a servir-me pela segunda vez do arrozito mas também se não aparecessem não se perdia nada...nada de especial, bocados muito grandes e carne com pouca gordura o que os torna muito secos e sem grande paladar. O que os safou foram os bocados de figado e as batatitas que estavam óptimos, verdade!

Para sobremesa foi-nos dado à escolha entre, mousse de chocolate, mousse de ananas e leite creme queimado ou fruta da época. Todo o "pessoal" optou pelo leite creme queimado. Uns gostaram outros não...eu não, pois que vinha frio e eu tinha-me convencido que ia come-lo quentinho, que desilusão...azar?!

Cafezinhos e toca a andar que se faz tarde!Não vi o resto da lista...nem sei se havia lista...uma falha da minha parte! 

Com esta vos deixo, na esperança que tenham coragem de por este poiso poisarem e que, depois da vossa experiência, me possam dizer: 

- "Oh Guigas...? Olha que foi mesmo azar que tiveste...sério mulher!"

Pagámos, com gorja incluida, 190 euros. eramos 15...façam as contas que a mim ja não me apetece...não me parece caro, nada caro. Tambem houve quem bebesse digestivos...aguardentes...ou lá que é! Nao me perguntem quais pois que não vi os nomes...desculpem.

MM


"Campo Alegre-Mar" - Leça da Palmeira - Porto

Tive a oportunidade de ir três vezes a esta casa, e realmente se por um lado se come muito bem, por outro sinto uma falta de regularidade no mesmo. Se da primeira vez o serviço me deixou algo "desorientado", a comida por seu turno, deixou-me cativado, através de uns fabulosos filetes de bacalhau com arroz do mesmo, um pecado. Aliás a lista de pratos de bacalhau é impressionante.Desde a Açorda de Bacalhau á Alentejana, ao Arroz de Bacalhau com Coentros, uma loucura. Já da segunda vez , o serviço foi mais eficaz e a "gestora" foi para os ditos Filetes de Bacalhau - novamente excelentes e nos quais ainda dei uma "voltinha" - e eu optei por uma Muamba de Galinha - prato angolano - que para além de muito curioso, me proporcionou comer uma galinha "a sério" daquelas "enormes" criadas mesmo no campo.À terceira quis fazer um bonito recomendando os filetes a quem me acompanhou só que...não estavam de igual feição, o que me deixou "atrapalhado". As sobremesas não estão bem de acordo com o que de melhor tenho comido, nomeadamente a Encharcada de Amendoa, longe do que de melhor já provei, assim como a Sericaia. 

Rua de Almeiriga Norte , 2510 - Cabo do Mundo - telefone: 22-9961455

Artur

quinta-feira, 7 de maio de 2009

"Adega Presuntaria Transmontana" - Vila Nova de Gaia

Em plena avenida marginal do cais de Vila Nova de Gaia, vamos encontrar este Poiso, uma derivação da Presuntaria Transmontana também em Gaia, com uma sala média grande, agradavel, bem decorada com uns belissimos presuntos pendurados no tecto por cima do balcão principal e uma amesendação correcta. Mal nos sentamos, somos logo colocados em sentido, perante uma entradinhas muito boas, entroutras: biqueirão ( primo das sardinhas/petingas ),presunto fatiado fininho, muito bom,tábua de queijos variados, tabua de enchidos,cabeça de xara,azeitonas verdes sem caroço, deliciosas,folhado de alheira com queijo - muito bom - havendo muitas mais para escolher à carta, mas que não pedimos pois que havia que guardar espaço para o que viria a seguir. Primeira constatação que me desagradou: pedi uma cerveja e ao perguntar a escolha que teria para a mesma, foi-me dito que somente Super Bock. Lamentavel. É simplesmente de muito mau gosto não haver pelo menos e mais que não fosse uma outra marca alternativa. Paciencia. Gramei a Super Bock - da qual nao gosto - para acompanhar as referidas entradas. A simpatia da funcionária que nos atendeu - a menina Ivete - depressa me fez esquecer a cerveja, pois a simpatia a afabilidade era tal, que logo me remeteu para o importante da noite, o repasto em si. Escolhemos pois, bifinhos de vitela com salada e batata a murro - agradaveis - lombinhos na grelha com arroz, bem temperados e com algum alcool à mistura e uma posta mirandesa, fatiada/laminada, acompanhada também por batatas espancadas ao murro, que e apesar da carne ser de boa qualidade, estava a meu ver passada demais, tirando-lhe um pouco do interesse. Mas para além disto, há polvo à Lagareiro, feijoada de gambas, bacalhaus - ora pois - lombo de javali na grelha, uma panóplia interessante de pratos que irão concerteza ao encontro do mais exigente dos comensais. A acompanhar tudo isto e para além dos sumos habituais para os juvenis - servidos curiosamente em jarro de vidro - um verde tinto da Quinta da Lixa, de muito boa nota. Para finalizar, um buffet de sobremesas muito boas e no final, depois do café, uma aguardente da casa excelente.No final, uma conta de 27,50 euros por pessoa - curiosamente ao lado, no Tromba Rija, a conta é semelhante - só que sinceramente gostei bastante mais desta Adega Presuntaria. Ainda por cima , nos oferecem gentilmente, uma garrafinha de Vinho do Porto e uma garrafinha de bom azeite para trazermos para casa.

Avenida Diogo Leite, 80 - Vila Nova de Gaia - tel: 22-3758380

Nao fecha - aceita cartões

Julho de 2006

Artur

" A Lanterna" - Amorim - Povoa de Varzim


No passado dia 29/10/05, fui parar a este poiso do qual um grupo de amigos, costumeiros de "tainadas", me falava muito bem.E vai daí pernas ao caminho, debaixo de um temporal imenso, para conhecer o dito. 

Bem perto da Povoa de Varzim, fica então localizado, mais propriamente em Amorim, este restaurante.Espaço fisico muito agradável e aconchegante a contrastar com a pouca "pachorra" do pessoal que nos atendia. Pareciam cansados e fartos de estarem naquelas funções. Há dias e dias...esperemos! Fiquei com vontade de la voltar mais para constatar se este facto se repete do que propriamente pelo que comi. 

Foi-nos servida uma picanha, que se deixava comer e umas costelinhas com arroz de feijão corrido que se deixaram comer muito melhor que a picanha.Outros pratos faziam parte da ementa como é obvio, embora poucos e, nada que não variasse entre o bacalhau, cabrito e costeletão – tudo na brasa. As entradas muito pouco variadas ou nada mesmo. Para alem do pão com manteiga e alguns patês industriais, apresentaram uns sonhos de bacalhau, que não estavam maus e uma chouriça, por acaso muito bem curtida e saborosa, assada na brasa. Quanto a sobremesas, a “famosa” carta de gelados, costumeira em qualquer restaurante e as não menos comuns natas do céu, assim como leite creme queimado, maçã assada, frutos tropicais e os da época. Decidi-me pela maçã assada que estava boa…uma maçã assada!!!!!

Quanto a lista de vinhos não sei, bebi do que pediram.Quanto a preços também não sei, não me deixaram ver a conta, era convidada e por isso paguei com um muito obrigada que não me saiu caro, verdade seja dita!

Fiquei desiludida com este poiso. Ia a contar com outra “loiça” pois que muito de agradável já tinha ouvido sobre ele.

Hei-de lá voltar…acho tive “azar” no dia, francamente!

Não me cabe na cabeça um lugar tão interessante e acolhedor ,sirva da maneira que serviu! É um crime e um atentado à boa cozinha portuguesa, na minha modesta opinião! Ou será que a nossa fasquia de poisos já esta tão elevada, depois de tão bons termos experimentado, que o “defeito” é nosso?! Oh valha-nos Deus se assim é!!!!!!!!!!

Rua Comendador Francisco Lima Amorim, 205 4495-137 AMORIM

POVOA DE VARZIM - TEL: 252691281 - Nao aceita marcações.

M&M

"A Tasca" - Vila Praia de Ancora - Viana do Castelo

Quem passar por Vila Praia de Ancora a horas de refeições, não deve deixar de visitar este espaço muito simpático. Curiosamente, na avenida da praia de Vila Praia de Ancora, existem um sem numero de espaços restaurativos, sendo que A Tasca não se situa nesta avenida, mas sim numa rua por trás e paralela à dita avenida. Espaço engraçado e agradavel, onde impera um ambiente misto de castiço e bem estar. Só um enorme painel" televisivo" estraga a nosa ver, o ambiente. A ementa é muito diversificada e "enorme", baseada na gastronomia da Serra da Arga e com "elementos" muito curiosos e apeteciveis. Entradas também variadas, desde uma favada, a passar por umas curiosas e muito boas pataniscas de bacalhau, ameijoas, um primor. Estando em terras de peixe, o robalo impera na lista, onde se pode ver as diversas formas de o cozinhar. desde cozido com legumes - curioso - grelhado e na forma como o degustámos, um soberbo Arroz de Robalo ao Nosso Mar, simplesmente muito bom. O Robalo na Brasa foi também apreciado por um dos comensais, assim como um Polvo à Lagareiro de muito boa nota. O bacalhau nas suas diversas formas também está presente havendo uma variante chamada Bacalhau da Matança, que é o prato servido na região,aquando da matança do porco. Nas carnes, para além de arroz de pica no chão, diversos bifes, cabrito, etc.Nas sobremesas, para além de um leite creme bem confeccionado e muito agradavel, uma surpresa rara de se ver, Sopas de Burro Cansado, deliciosas. O vinho tinto da casa,servido em jarro e proveniente do Douro, é muito bom.Mas quem o nao quiser, tem á disposição uma lista de vinhos correcta e variada. Preço muito aceitavel - pagámos pela refeição de 4 pessoas 70 euros - com tudo incluido. Uma muito boa relação qualidade/preço. Como curiosidade, a casa vende mel,chouriço e azeite. A visitar sem falta.

Rua Laureano Brito, Vila Praia de Ancora

tel: 258951183 - 966275591

29 de Outubro de 2005

Teresa

"A Oficina" - Mexilhoeira Grande - Faro

Para petiscar não deixem de visitar a "A Oficina", em Mexelhoeira Grande. Uma tasca divinal...uns finecos de estalar de bons! Depois de um dia de praiada, ainda bem "porquinhos" de cremes, sol e sal e no dia que se combinou jantar no Retiro do Isca (dps das 22h) um local que aconselho seja visitado

M&M

Agosto de 2005

"A Lanterna" - Grandola - Setubal

No "velhinho" IP1 antes de Grândola no sentido Norte-Sul, mesmo logo a seguir à grande rotunda onde se pode derivar para Sines e Santiago do Cacém (quem for via Auto-Estrada deve sair na saida Grândola/Sines, chegado à dita rotunda deve continuar no sentido do Algarve), existe, à esquerda, este restaurante de beira de estrada.

Com um generoso parqueamento é um poiso de qualidade e onde podemos degustar pratos típicos da cozinha regional de um Alentejo ainda não muito profundo. A saber: Migas com carne de porco; Jantarinho alentejano (uma especialidade); Pataniscas de bacalhau com arroz de tomate; Gaspacho alentejano (sopa fria excelente para um dia quente de verão); Açorda alentejana com bacalhau, e muitos outros com bastante qualidade.

É um poiso que recomendamos para aquele almoço ou jantar de viagem em que se quer alguma qualidade no serviço e no que se come.

Estrada nacional 120 - Grândola Tel: 269.442887 -Encerra às 2ª feiras de tarde e 3ªs todo o dia

FF

"A Maria" - Alandroal

Quando alguémdeixa a cozinha que com tanto sacrifício pôs de pé e nas páginas dos jornais, para se dedicar ao marketing barato e grosseiro, só podia dar naquilo que deu: comida normal, sem grandes predicados e uma preocupação maior em fazer negócio do que em servir com carinho, amor, dedicação. Ficámos todos muito mal impressionados, mais pela “ atitude” barata, do que pela comida em si que, não sendo má, nada trazia de especial. Mas se calhar, já chegámos lá muito mal habituados dos 3 poisos de onde vínhamos. Podia ser…mas não foi. E porque a desilusão foi tão grande, escuso-me a detalhar o que veio para a mesa que não saindo do tradicional do que se faz no Alentejo, nada de extraordinário trazia ao palato.

Rua João de Deus, 12 - tel: 268-449237 - fecha à segunda-feira

Artur

"Adelha Velha" - Mourão - Evora - RIP


O que se pode dizer de um "poiso" excepcional ? Comecemos pelo principio então. O "poiso" é uma antiga adega, dividida em 3 salas, todas diferentes uma das outras. À entrada e do lado esquerdo está um balcão e à medida que vamos entrando, as salas vão-se apresentando pelo lado esquerdo, guiados que somos por um corredor que nos leva, senão pararmos, até á cozinha, enorme, de porta escancarada, onde se trabalha com azáfama para que os comensais possam degustar uma mais do que verdadeira e genuina cozinha trastagana. Sentados que ficamos, em banquiinhos de madeira, em chão irregular, pede-se o vinho da casa que, não sendo excepcional, acompanha muito bem o que vem parar à mesa. Pão muitissimo bom, cortado irregularmente, presunto de grande qualidade, azeitonas e queijos variados, vão-nos entretendo, enquanto o sr. Vitorino nos aconselha com imensa simpatia e paciência, o que podemos comer. E o que se pode comer ? . Desde guisado de lebre, feijão guisado com linguiça, grão cozido com carnes e enchidos, sopa de Cação - excepcional - Sopa da Panela - excelente, com um forte sabor a hortelã. - tudo deverá ser degustado como o bom sr. Vitorino nos manda: prato de sopa, colocamos as fatias do excelente pão no prato e colocamos por cima deste , vez á vez, os diversos sabores e sensações aconselhados : fenomenal.Nas sobremesas, manjar alentejano, encharcada e Bolo Podre, acabam em beleza a refeição. Marcação obrigatória. Preço acessivel. 

Rua Dr.Joaquim Vasconcelos de Gusmão, 13 - tel: 266.586443 - fecha à segunda feira

Artur / 2004

"A Telha " - Vila Nova da Telha - Maia

Ora a quilómetro e meio de nossa casa, fica este espaço , em que para além dos pratos tradicionais, se pode comer um cabrito de muito boa nota. Como diz a Teresa, o cabrito é como o bacalhau: a matéria prima tem de ser boa e tem de se saber "trabalhar" o animal. E é mesmo isto que acontece na Telha. O animal é delicioso, bem temperado e sobretudo muito bem assado, no ponto, nem de mais nem de menos. Direi que gostámos bastante mais deste do que o do Fernando, que nos pareceu passado demais. A a acompanhar umas batatinhas assadas deliciosas, grelos e um esparregado de nabiças, bem azedo como deve ser. O bacalhau assado na brasa - servido às lascas e regado com bom azeite,carregado de alho, émuito bom - e umas costeletas de vitela grelhadas no carvão, ou mesmo uns enormes bifes de lombo no carvão também, de soberbas dimensões e com excelente paladar. A terminar, ananaz assado, muito interessante. O maduro tinto da casa é muitíssimo bom e o "xiribititi" final, delicioso. Preço médio

 Numa das ultimas visitas, o cabrito, porque lhe tinham tirado mal o "nervo", não estava em condições algumas de ser degustado, sendo imediatamente substituido - após a nossa reclamação - por uns bifes altos suculentos e por um bacalhau assado na brasa e lascado, de muito boa nota.

R. Alberto Campos da Costa Maia, 303 - 229427360

Vila Nova da Telha - Maia

Visitado frequentemente

Artur

"Adega Vila Lisa" - Mexilhoeira Grande - Faro

Ora e apesar de alguns colunáveis deste pais, assim como alguns especialistas na matéria, colocarem este "poiso" entre os melhores de Portugal, ou mesmo excelente, temos de discordar de tais apreciações. Atenção, o que se lá faz, é bem feito mas não "espectacular". Pensamos que a fama ultrapassa em muito a realidade. Para além do mais, achámos perfeitamente ridiculo que só sirvam água ou vinho, sendo que e como iamos com jovens adolescentes, ao pedirmos refrigerantes, foi-nos dito que..." os fossemos comprar à mercearia da frente". Tal e qual. Para além deste facto bizarro, a pessoa que servia à mesa era estrangeira e não pescava nada de português. Outra bizarrice. Como menu tinhamos, canja de conquilhas, açorda de peixe, açorda de pargo ou de robalo, muxama de atum, arroz de conquilhas, carapaus alimados, polvo no forno, chocos com batata doce, raia de alhada, pargo, sargo ou robalo assados no forno. Pernil de porco assado no forno, cabidela de galinha, cozido de rabo de boi com grão e galo estufado com vinho tinto. Não tencionamos lá voltar e pensamos que muita da fama que tem, é fruto da "boa vontade" de alguns.

Mexilhoeira Grande - tel: 282-968478

Verão de 2002
Artur 

"Adega do Isaías" - Estremoz - RIP


Um caso sério da gastronomia que se faz pelo Alentejo. Antes de mais, o ambiente, pleno de pujança sensorial, em que os aromas tradicionais, nos invadem logo à entrada; sala ampla, - mesmo tipo adega - mesas e bancos corridos, com velhas talhas enormes a delimitarem os espaços. Serviço muito eficaz, a condizer com aquilo que vem para a mesa, uma autêntica panóplia de coisas boas, desde as entradas e o pão alentejano, óptimo - Sopa de Pombo bravo e de espargos bravos, sopa de cação, espargos bravos com ovos, cogumelos com ovos mexidos - deliciosos . Borrego assado no formo - uma autêntica especialidade - migas com carne de porco, coelho bravo assado na brasa, arroz de pato bravo , pato assado no forno - outra especialidade - lebre com nabos, caldeirada de caça, entrecosto e lombinhos de porco grelhados na brasa, chispe e burras assadas no forno,ensopado de borrego. Como sobremesas, entroutras, umas filhozes com mel, de se chorar. 

O vinho da casa, servido em jarro, é uma óptima companhia para a refeição.Mas atenção que no final, vamo-nos aperceber que aqueles jarrinhos não eram tão inocentes como pareciam: 14 graus de tintol, que pode arrumar os incautos.

A marcação é obrigatória, especialmente ao sábado, dia de feira. Preço acessivel.Visitado frequentemente

Rua do Almeida, 21 - Estremoz - telefone: 268-322318

Artur

"O Albertino" - Folgosinho - Viseu

O Sábado passado estive na Serra da Estrela, e aproveitei para almoçar no restaurante O Albertino, com um menu de degustação composto por 3 entradas (queijo da serra, chouriça de sangue e e chouroço de carne) 5 pratos,( feijoada de javali, arroz de sangue de coelho, vitela estufada, cabrito assado e leitão assado), 3 sobremesas (leite creme, arroz doce e requeijão com doce de abóbora). Café e digestivo por 13.00 euros por pessoa 
Sem dúvida um exelente poiso onde se encontram pratos muito bem confecionados, onde só o leitão desiludiu pelo facto de ser aquecido. Os restantes pratos estavam divinais. O vinho da casa também é exelente. 
Um poiso recomendado.

Cristiano